Sunday, 29 June 2008

O Legado de Nandor



Tradução livre do Dominion Post, 26/06/08.

Nove anos depois de sua "colorida" entrada no parlamento, Nandor Tanczos hoje se despede dos seus colegas. Ele é a prova que não se pode julgar um livro pela sua capa.

Seus dreadlocks que vão até seus joelhos, fuma maconha regurlamente e seu primeiro discurso no parlamento começou com saudações à Jah (Most High Jah Ras Tafari). Foi pisoteado por policiais em Melbourne durante um protesto contra a globalização e é provalmente o único parlamentar da história da Nova Zelândia a ser investigado por porte de drogas. "Sim eu ainda fumo maconha, é um sacramento da minha fé. É uma religião garantida sob os direitos humanos internacionais. Continua a ser ilegal, entretanto é de meu direito praticar a minha fé".


"A realidade dentro do parlamento é que você só consegue fazer coisas quando você recebe apoio. Eu encarei muito preconceito quando eu começei, e eu acho que uma das coisas que aconteceram foi que todos esses esteriótipos foram minimizados ao longo de todo o tempo."

Nascido na Inglaterra filho de pai húngaro com mãe sul-africana, ele se mudou para a Nova Zelândia com 9 anos de idade e cresceu numa família com consciência política embora não afiliada a nenhum partido. Durante sua adolescência, no período brit-punk teve uma empatia pela anarquia e ficou um tempo na Inglaterra onde participou de vários protestos. Formado em sociologia na Waikato University, Nandor se juntou aos Greens (partido verde) em meados dos anos 90.

"O trabalho político é muito abstrato no sentido de criar leis e oportunidades para as pessoas. Na hora de se construir algo, acaba sempre indo para as mãos de outros. Eu estou com muita vontade de colocar minha mão na terra novamente e ver coisas reais se tornarem frutos. Quero voltar a me envolver com política local e comunitária e é um ótimo momento para eu comprar umas cabeças de gado e procurar um lugar longe das pessoas e simplesmente sentar e clarear minha cabeça. Eu realmente preciso meditar e procurar guiança espiritual."

"Eu gosto de pensar que eu mudei o parlamento, mas acho que também é verdade que ele me mudou, para o bem e para o mal. Eu ganhei uma enorme experiência e habilidade em negociações. Em termos de espiritualidade, é um lugar muito envenenado. Não é um lugar onde pessoas gastam muito tempo discutindo valores filosóficos. É muito oportunístico e com um campo de visão muito curto. Respirar aquele ar por nove anos fez com que tirasse o polimento de minha alma. E isso é uma das coisas que eu quero fazer agora, tirar um pouco desta crosta de mim."

1 comment:

eduardo teixeira said...

Obs: O cargo de membro do parlamento que Nandor exerceu equivale mais ou menos ao de deputado federal no Brasil.