Tuesday, 23 December 2008

Boxing Day, Feliz Natal e xingão na sociedade medíocre

Boxing Day é um feriado no dia 26 de Dezembro celebrado em muitos países não somente, mas principalmente ingleses. Apesar de ser feriado é um dia em que todas as lojas abrem e fazem uma grande liquidação de suas mercadorias que não foram vendidas antes do Natal. Vale muito a pena esperar o Natal passar para conseguir um super desconto em média de 30% a 50% para comprar aquele tão sonhado Playstation 3, iPod, câmera legal, além de roupas, artigos para casa e muito mais. E nesse dia o povão troca o dia de sol na praia por filas e cotoveladas nas lojas. Esse ano não vou comprar nada (eu acho!) pois já gastei demais, mas é muito fácil se emocionar e sair gastando.

A origem do nome vem de mais de um século atrás, quando os patrões das fábricas costumavam depositar dinheiro dentro de uma caixa feita de argila (uma espécie de cofre-porquinho). E no dia 26 os trabalhadores quebravam a caixa e dividiam o dinheiro. Era uma forma anônima de ajudar os menos afortunados. A caixa era chamada de Christmas Box e o dia ficou conhecido como Boxing Day. Com o passar dos anos começaram a abrir as lojas neste dia ofereçendo grandes descontos, que penso que também é uma boa maneira de possibilitar que pessoas de baixa renda tenham acesso à produtos caros.

Eu acho uma ótima idéia, pena que no Brasil não existe. Se houvesse imagino que não haveria mais vendas antes do Natal, todos esperariam o dia 26, e por isso haveria uma altíssima procura e os preços subiriam. Além dos comerciantes serem muito esfomeados e não aceitariam dar tanto desconto. Mesmo com este dia de preços baixos, todos aqui compram todos presentes antes do Natal. E no Boxing Day é dia de avacalhar de vez com a conta bancária.

É uma questão cultural. Por que o preço dos combustíveis no Brasil não está baixando? A Nova Zelândia depende quase que completamente de óleo vindo do oriente médio. E por causa da recessão nos EUA o preço do barril vem despencando mundialmente, consequentemente abasteço toda semana gasolina aditivada pela bagatela de $1.38 o litro. Mas no Brasil ninguém baixa, e olha que produzimos a maior parte do petróleo que consumimos. Só coloquei este exemplo para mostrar qual é a diferença entre países desenvolvidos e sub-desenvolvidos. A diferença é que no Brasil todo mundo quer ficar rico sozinho, e não deseja o mesmo para seu próprio vizinho. Quer vê-lo ainda mais pobre.

Para finalizar vou parar de franzir a testa. Desejo um Feliz Natal à todos vocês leitores deste blog, muitos que acompanham fielmente desde o começo. Que a força esteja conosco!

Muito Obrigado!

Thursday, 18 December 2008

Aeroporto de Gisborne

Gisborne é uma cidade de 45 mil habitantes na ilha norte da Nova Zelândia, onde morei durante o verão de 2006/07. Conhecida por suas belíssimas praias e ótimo surf, além de ser a "primeira cidade do mundo a ver o sol" devido à sua localização no extremo leste do país, sendo que aqui o fuso horário é GMT+12, o primeiro fuso horário do mundo.

E o aeroporto desta cidade tem uma particuliaridade interessante. Uma ferrovia corta a pista. Que viagem... tem muito espaço para construir um aeroporto e fizeram justamente em cima da linha do trem. O aeroporto é pequeno mas opera diariamente vôos regulares para Auckland, Wellington e outras cidades da ilha norte. O aeroporto tem na torre de comando um "botão" que baixa a cancela para o trem! Normalmente a cancela baixa para nós, motoristas que temos que esperar o trem passar para continuarmos dirigindo, mas agora o velho maquinista é que se ferrou! Veja abaixo algumas fotos, não consegui achar nenhuma mais recente, mas posso garantir que hoje em dia as coisas ainda são exatamente assim!






Sunday, 14 December 2008

Rip Curl H-Bomb

Essa entrou para a história. A Rip Curl, líder mundial na fabricação de roupas de neoprene até então além dos modelos mais comuns, eles já fabricavam a série E-Bomb que garante leveza e máxima flexibilidade dentro da água, e a série F-Bomb que detém alta tecnologia em drenar a água e segurar melhor o calor do corpo. Mas agora eles inovaram com a recém lançada H-Bomb, que é aquecida por um dispositivo. Isso mesmo, com aquecedor!

Existe muitas ondas de qualidade em lugares extremamente frios como no extremo sul da Nova Zelândia, Tasmânia e no hemisfério norte em lugares como Canadá, Irlanda e até mesmo Islândia! Em lugares como estes a temperatura da água é de no máximo 10 graus, sem contar a temperatura do ar, que pode estar facilmente abaixo de zero e acompanhada de neve e ventos geladíssimos.

Para surfar lugares como estes é necessário roupas grossas (de 4.3mm ou 5.3mm), botas, luvas e até mesmo gorros. O cara fica virado num astronauta mas é o único jeito mesmo. Com o H-Bomb ainda pode ser preciso vestir luvas, botas e capacetes, mas a roupa em si é muito mais fina e leve e garante flexibilidade e conforto térmico ainda maior graças ao sistema de aquecimento.

O aquecimento é feito por baterias de 7.4 volts e duram em média 2 horas, tempo suficiente para pegar altas ondas. A roupa não causará nenhum tipo de choque ao usuário devido à baixa voltagem, mais um ponto positivo.



Segundo alguns kiwis que testaram o wetsuit a impressão foi a de estar enrolado num cobertor elétrico. Apesar do aquecimento ser somente no tronco ao redor dos órgãos vitais, a sensação térmica é transmitida para todo o corpo, evitando assim que os pés e mãos adormeçam devido ao frio. Eu mesmo já tive meus pés dormentes surfando aqui na Nova Zelândia e posso garantir que não é legal!

A explicação científica é de que, o corpo quando é exposto a condições de extremo frio instintivamente dá prioridade ao funcionamento dos órgãos vitais, bombado mais sangue para eles e deixando um pouco de lado o resto do corpo. Por isso a sensação de dormência é sentida nos braços e pernas.

O preço ainda é caro, em média 1100 dólares australianos. Não imagino que será comercializado no Brasil, uma vez que não precisa-se mais do que uma roupa de 3.2mm para surfar no inverno no sul do nosso país. A temperatura do mar em Santa Catarina no durante o inverno é mais ou menos a mesma da água aqui no verão, ou seja aqui é vrio bra garalho bróder!


Sunday, 30 November 2008

Kings of Leon em Wellington

Apesar de já haver recebido a confirmação via email, somente hoje que respirei e fiquei tranquilo ao receber os ingressos pelo correio. Sim, vou ver Kings of Leon ao vivo, a banda mais legal e descolada do momento! Eu e a minha gata, em Março em Wellington!

Estava na frente do computador no dia e hora que os ingressos estariam disponíveis à venda. Esgotaram-se em menos de uma hora e com muita sorte garanti o meu, que levou um tempo danado para conseguir. O site estava muito congestionado e demorava muito para carregar as páginas, e na hora de processar a cobrança no cartão deu um erro e disse que não havia confirmado a compra. Depois de mandar um email para verificarem descrobri que realmente havia comprado os tkts. O show será num teatro, onde normalmente removem as cadeiras do primeiro nível pra galera se quebrar. Mas vamos ficar lá em cima, vendo tudo sentadinhos e bonitos. Já estou muito velho para estar me espremendo na multidão, já se foram os bons anos de Skol Rock. E com a minha mina junto lá no meio de um monte de porra loca, é incomodação garantida.

Conheci a banda há vários anos atrás quando eu tocava com o Victor Hugo e o Endrigo, tocávamos Molly Chambers, do primeiro disco Youth And Manhood de 2003. Somente ano passado com o lançamento de Because Of The Times eu descobri que a banda ainda estava na ativa. Achava que eles já estavam extintos. E eles mudaram seu estilo, deixando um pouco de lado o rock caipira que marcou o primeiro disco para um conceito mais alternativo, que na minha opinião lembra muito o som que o Stone Temple Pilots fazia. E às vezes percebo influências de outras bandas tais como The Strokes, Pixies e até mesmo Placebo.

E em Setembro deste ano lançaram o matador Only By The Night que emplacou primeiro lugar aqui, na Austrália e Reino Unido, conseguiu o primeiro lugar na Irlanda com o single Sex on Fire, música esta que alcançou a segunda colocação na Billboard.

Será a quarta vez que a família Followill tocará na Nova Zelândia. A banda é composta pelos irmãos Caleb (voz, guitarra), Nathan (bateria), Jared (baixo) e o primo Matthew (guitarra).



Saturday, 22 November 2008

O nome mais longo do mundo

Há um bom tempo atrás estava vendo um mapa da Nova Zelândia e me deparei com um nome um tanto que longo, para um simples morro de apenas 305 metros de altitude, absolutamente no meio do nada, num lugar pouco habitado na Ilha Norte. Pesquisando mais a fundo descobri que este nome está no Guinness Book Of Records, sendo o maior nome de um lugar no mundo, eis o nome:

Taumatawhakatangihangakoauauotamateapokaiwhenuakitanatahu



Uma palavra (na verdade uma história inteira) de 85 letras, em Maori que significa: "O cume onde Tamatea, o homem de joelhos grandes, o escalador de montanhas, o engolidor de terras que viajava por ali, tocou flauta nasal para sua amada".

Há uma briga pelo maior nome do mundo. A capital da Tailândia possui um outro nome ainda mais longo, mas não é reconhecido como recorde pois os habitantes não o utilizam no dia-a-dia, chamando a cidade simplesmente de Bangkok. Pelo que pesquisei alguns sites dizem que Bangkok é o recorde, outros apontam Taumata.

Estava com vontade de ir lá e conferir o lugar mas quer saber, não deve passar de um lugar no meio do nada, longe pra caralho e pelo que parece o cenário lá é aquele mesmo comum que pode ser visto em boa parte da Ilha Norte, que lembra o bairro Belchior em Gaspar-SC. (Valeu Xunda pelo Belchior, muito boa essa!). Veja a foto abaixo que copiei da página wiki deste lugar:



Um lugar muito pouco divulgado com uma simples placa no meio de colinas e pastos com vacas e ovelhas... já vi muito disso, obrigado!

Sunday, 16 November 2008

Sub 17

Terminou ontem a primeira copa do mundo de futebol feminino sub-17. E foi realizada aqui na Nova Zelândia. Coitada das meninas do Brasil, levaram um pau e não passaram da primeira fase, sequer venceram um jogo. E a final foi Coréia do Norte contra os EUA. E deu Coréia, um dos países da lista negra dos states, mas que eles se pelam de medo de fazer algo pois sabem que o tiozão lá é louco de verdade!

Não acompanhei o torneio, mas acredito que o nível não foi lá aquelas coisas. Não dá pra acreditar neste gol, na final da copa! Cobrança de lateral, gol de mão! E a bola ainda pingou uma vez no chão! Deusolivre! Nunca vi nada igual!

Um fato interessante: as mulheres da Nova Zelândia hoje em dia estão jogando mais futebol do que netball. Um dia esse "esporte" ainda vai morrer!

Sunday, 9 November 2008

O fim da era Helen Clark

John Key, o novo primeiro ministroPor nove anos Helen Clarke (Labour Party) foi a primeira ministra da Nova Zelândia. E no último sábado não conseguiu se releger pela quarta vez consecutiva, perdendo para John Key (foto), do National Party. Sinceramente eu achava esse cara meio binarda. Tem a maior cara de deputado estadual do PFL, tá ligado? Daqueles políticos bem mequetrefes cheios de blá blá blá. Mas depois da entrevista com ele que eu vi ontem à noite já não o achei tão binarda. Ele está somente há 6 anos na política e isso é bom pois não possui certos vícios políticos. Além de parecer estar sabendo o que diz.

A Helen Clarke trouxe estabilidade para o país durante seu mandato, mas o povo decidiu que estava na hora de mudar. Muita gente aqui reclama e acha ruim o governo, que cobra apenas um único imposto e te paga salário para ficar em casa vagabundeando. Gasolina custa $1.62 o litro e o salário mínimo é $12/hora. Vão para o Brasil para ver o que é bom! É o que eu digo para eles. Vamos ver o que acontece nos próximos meses. É um período delicado e aqui também já existem alguns sinais da recessão mundial.

E só para constar: Eu jurava que o Obama não ganharia nos states. Sério mesmo não achava que os americanos estavam preparados para aceitar um negro como presidente do país. Agora tu também negão vai ter que mostrar se tu é bom de verdade.

Wednesday, 5 November 2008

Guy Fawkes Parte 2

E na manhã do dia 5, à 11 horas, estava entrando na The Warehouse. É uma loja, ainda que fuleira, muito útil no cotidiano de todos os kiwis, e tenho certeza que todo brasileiro que já morou aqui sente falta de uma dessas no Brasil. Imagine uma mistura de lojas Renner, Millium, Brunetti Discos e Auto Peças Poffo Ltda. É tudo isso e muito mais, sendo que aproximadamente 120% dos produtos vendidos lá são made in China, sério mesmo! Nesta loja é comum passar no caixa e te cobrarem menos do que está na etiqueta. E às vezes o produto já está com preço descontado, e ainda fica mais barato. Não é à toa que o slogan da loja é "Where everyone gets a bargain", onde todo mundo ganha um desconto!

Voltando ao Guy Fawkes... não precisei dar mais que 5 passos dentro da loja para me deparar com uma pilha de fogos de artifício, de todos os sabores. Haviam isolado uma área ao lado onde haviam caixas fechadas, que imagino eu terem sido recém descarregadas do container, e os funcionários iam reabastecendo a pilha à medida que o povo desesperado agarrava o máximo que podia. Parecia tropa da ONU dando comida na África.

Escolhi um dos sabores, que tinha uma foto do foguete esplodindo coloridamente, muito bonito. Comprei duas caixas com 50 em cada pela bagatela de 15 pila. Mas à noite quando fui acender não era nada mais do que buscapé de festa junina. Nem tão fuleiro na real, até que ele explodia massa, mudando de cor e tal. E aí desisti de guardar alguns para o reveillon. Queimei todos os 100 só de raiva... aliás, tem ainda 2 restantes, que achei perdidos no gramado hoje pela manhã...

Monday, 3 November 2008

Guy Fawkes

Guy Fawkes foi um inglês muito famoso por planejar um plano para matar o Rei James I, toda sua família e mais uns paus-no-cú, tudo isso em 1605. Eles haviam escondido 800kg de pólvora em barris no porão do Palácio de Westminster em Londres. E os oficiais acabaram descobrindo o plano e pegaram o cabra e sua turminha bem na hora que ele estava com a tocha pronta para acender. Ele se suicidaria neste atentado terrorista. Todos foram presos e condenados por atentado ao tesouro e governo e a punição era a pena de morte, da seguinte maneira, que era o "padrão" no Reino Unido até bem pouco tempo atrás (1814):

1 - Enforcavam o cara até ele estar quase morto;
2 - Tiravam da forca e faziam um corte na barriga e retiravam as tripas, com o cara ainda vivo;
3 - Cortavam o corpo em quatro partes e por último decapitavam o cara;

As mulheres eles pegavam mais leve, somente queimavam-nas vivas na fogueira, como as bruxas. Porra os caras eram pior que o Jigsaw, francamente!

Mas onde quero chegar é que amanhã, 5 de Novembro, é o Guy Fawkes Day. Comemorado no Reino Unido e alguns países colonizados por eles, incluindo a Nova Zelândia. E aí para comemorar todo mundo solta fogos de artifício, parece ano novo. No meu primeiro ano aqui tinha um mercadinho do chinês que não parava de vender fogos num certo dia, e o próprio chinaman não soube me responder porque. Fui entender somente no outro ano.

Mas o mais interessante é que fogos de artifício são proibidos aqui! Você acha que tem rojão cabeça-de-nego pra vender ali na mercearia da esquina? Que nada! E no reveillon somente profissionais lidam com os fogos, fazendo os espetáculos que todos nós já conhecemos. Ou seja, no Guy Fawkes Day todo mundo fica bobo e sai gastando horrores com bombinhas, foguetes e o caralho a quatro, pois é o único dia que eles podem!

Durante o ano inteiro não posso comprar fogos de artifício, mas toda semana estou lidando com uma bomba de gasolina, pois aqui não tem frentista nos postos, todo mundo abastece seu próprio veículo. Me diga o que é pior, detonar um rojãozinho inofensivo ou detonar um quarteirão inteiro numa explosão? Francamente mais uma vez... hein? Já estou prometendo há um tempão escrever sobre as barbaridades e calamidades da Nova Zelândia, um dia sai!

E aí como ninguém é acostumado a manejar fogos de artifício, todo ano acontece um monte de acidentes, principalmente pessoas embreagadas mirando o foguete no amigo ao lado. Nós brasileiros temos a manha da parada, pois acendemos várias vezes durante o ano, e são muito menos acidentes, proporcionalmente.

E amanhã talvez eu compre uns foguetes, mas vou guardar para 31/12!

Sunday, 2 November 2008

I want to play a game...

Ontem à noite fui asisstir o tão esperado Saw V, conhecido no Brasil como Jogos Mortais. Não sou do tipo de estragar supresas, então não vou entrar em detalhes. Embora havia lido há um tempo atrás que a série iria até o sexto filme, na propaganda na tv aqui anunciava o quinto como o último. Pura mentira!!! hahaha acho que eles se arrependeram de ter matado o John Kramer (Tobin Bell) no terceiro filme. Mas aí toda a trama já está armada, com o filme indo e voltando no tempo, o volume 5 conta a história do detetive Hoffmann e como ele se envolveu com o Jigsaw quando ele... bom já contei demais, vão assistir!


Monday, 27 October 2008

Novo Blog

Não quero mais ter um blog, quero dois!!! Quero falar sobre inglês e ao mesmo tempo não quero perder o foco deste blog, por isso criei um segundo, sobre dicas e curiosidades de inglês. Dissecando a Palavra é o nome dele. Visite para maiores informações!


Thursday, 23 October 2008

Labour Day

Segunda Feira, 27 de Outubro, é Labour Day na Nova Zelândia. Ao contrário da maioria dos países que celebram no dia primeiro de Maio, aqui a data é outra pois também foi o dia em que foi normalizada a jornada diária de trabalho para 8 horas, em 1840, nos primórdios da colonização. Labour significa trabalho, no sentido de mão-de-obra, trabalhador operário, que põe a mão na massa. Por isso que o partido dos trabalhadores se chama Labour Party e não Workers Party.

Labour também é uma palavra utilizada erroneamente por brasileiros na Nova Zelândia, talvez em outros países também. Labour virou conceito de trabalhar na construção civil, pois tem uma companhia que contrata mão de obra, chamada 0800Labour, e a maioria dos jobs são em obras. E labour virou o nome da profissão. Ex: "Eu trabalho de labour num prédio lá na High St, divido o apartamento com mais 5, e todas as quartas vou no Mexican Café ouvir a mesma banda brasileira tocar as mesmas músicas brasileiras".

O Labour Day é sempre comemorado na quarta segunda-feira de Outubro, o que garante um feriadão todo ano. Também é popular por aqui dizer que é o fim de semana para plantar tomate no jardim de casa, em outras palavras é hora de preparar o jardim com verduras, legumes e hortaliças para garantir vegetais frescos e saudáveis nos meses do verão!

Outros feriados como o Aniversário da Rainha, e feriados regionais também são em datas móveis, para sempre garantir dias de folga, ao contrário do Brasil, que muitos anos são malhados, com vários feriados caindo nos fins de semana. Isso é um verdadeiro desperdício, não acham? Desperdício é eu estar aqui na frente do computador enquanto lá fora está um dia de sol lindo. Fui nessa!!!

Saturday, 18 October 2008

YEEEEAAAAHHH!!!!

Eu e a minha namorada acabamos de voltar do supermercado, na esperança de encontrar polenta. Havíamos ouvido boatos que existe polenta para vender na Nova Zelândia, um pouco difícil para achar, mas tem. Já havíamos achado coração de galinha, que só se acha no Pak n' Save, o supermercado do povão. E foi no New World (supermercado dos burgueses) que achamos a polenta italiana e... por acidente achamos pão de queijo!!!! da Yoki, made in Brasil-sil-sil. Agora mesmo é que eu nunca mais volto pra casa!

Tuesday, 14 October 2008

Domingão e Rugby

No último Domingo fui assistir a uma partida de rugby pela primeira vez. Não, não era o All Blacks. Quero ver esses caras jogar um dia, mas é foda pois tem que comprar ingresso com muita antecedência e tem que ir para Auckland ou Wellington, o que involve gastos adicionais. Fui prestigiar o time local de Hawke's Bay, o Magpies, nas quartas de final da Air New Zealand Cup.

McLean Park, Napier

A semifinal foi contra o Waikato Mooloos, de Hamilton, que contam com 4 All Blacks no seu time, o Magpies não possui nenhum. O jogo foi no McLean Park em Napier e custou 10 pila na geral. Me arrependi pois a vista era muito ruim, na próxima eu desembolso 20 pila e fico num lugar melhor. Fiquei de cara que o estádio estava lotado, umas 10-15 mil pessoas, ou seja, praticamente 10% de Napier e Hastings estavam lá!

o bixo pegando!

Das diferenças entre assistir rugby na Nova Zelândia e futebol num estádio no Brasil posso destacar as seguintes: Não tem churrasquinho para vender, mas tem hot-dog e salsichas, e nada de pipoca também. Para beber tem cerveja, e vinho! E não tem a figura do moleque passando na arquibancada vendendo as paradas. Se quiser algo tem que se levantar e ir lá na barraquinha comprar.

Cobrança de lateral

A galera até que faz bagunça gritando, mas nada de ôôô-ôôô-ôôôôôô!!! Tinha uma meia-dúzia de torcedores do Mooloos, que viajaram 300km e trouxeram seus cowbells, aquele sininho que penduram na vaca, e ficaram enchendo o saco fazendo bléim-bléim-bléim o jogo inteiro, que constitui-se de dois tempos de 40min. Nada de batucada e tambor, nem chamar o juiz de filha da puta. Uma hora eles protestaram um cartão vermelho gritando OFF! OFF! OFF! Mais uma para o vocabulário!

Magpies x Moolos

E os Magpies, que tecnicamente não eram favoritos abriram 28 x 0 no primeiro tempo. No segundo os Mooloos vieram com tudo pra cima e achei que iriam virar o jogo. Graças à um pênalti os Magpies estão nas semifinais contra o Canterbury de Christchurch. Mas aí o bixo pega, pois eles são o melhor time e contam com vários superstars do All Blacks, além do jogo ser lá no campo deles. Placar final do jogo: Magpies 31 x 28 Mooloos, que equivale a um 3 x 2 no futebol! (Detalhe para o placar que está com o character encoding desconfigurado).

Fim de Jogo!

Monday, 6 October 2008

Snowboard

Turoa Ski Field, Mt RuapehuFinalmente fui fazer snowboard. Por um motivo ou outro nunca rolou fazer, já havia visitado uma estação mas nunca havia feito nestes 3 anos em que estou aqui. Semana passada finalmente os planetas se alinharam e nós fomos para a estação de ski com um outro casal brasileiro amigos nossos. Talvez toda esta demora não seja à toa, pois este ano todas as estações da Nova Zelândia atingiram níveis recordes de neve, devido à um inverno com muitas chuvas em todo o país, que caem sob forma de neve nas montanhas. Turoa Ski Field que normalmente opera com 1.5m de neve chegou a registrar 5 metros de base, e para comemorar assaram uma salsicha de 5m no barbeque.

área de iniciantesA estação fica à umas 4hr daqui, bem no centro da ilha norte, no lado sul do Mount Ruapehu, um vulcão de 2797m em estado ativo, e é também a maior montanha da ilha norte. Fica situado no Tongariro National Park, reconhecido pela UNESCO como patrimônio mundial da humanidade. Outros dois vulcões fazem parte deste parque, o Ngauruhoe (2291m) e Tongariro (1978m).

No sábado foi o primeiro dia e estava choviscando e ventando frio, mas isso não atrapalhou a brincadeira da gurizada. Fomos na begginers area, e a primeira coisa que descobri é que a neve pode ser tão dura quanto um piso de concreto. Já na primeira queda bati com o "ossinho da bunda" e doeu muito! Demorou um pouco para pegar a manha da parada, mas logo depois já estava controlando bem a pranchinha e até arriscando um saltos numa rampinha. Realmente a sensação é como a de estar surfando, só que mais veloz e a prancha tem uma resposta mais solta e rápida do que no mar. Fiquei até o fim do dia, quando já haviam desligado os lifts e quase todos já tinham ido embora.

todas as idades!O Domingo amanheceu lindo, com céu azul e sem vento, e mesmo com os corpos doídos do dia anterior fomos cedo montanha à cima. Pegamos o chairlift e subimos para ter uma visão panorâmica da montanha e da estação. E foi mais um dia de muita diversão, apesar de ter machucado meu joelho. Na real é muito fácil se machucar, mas não dá nada! Muita gente caía feio e se levanta logo em seguida. E a molecada fazia a festa. Tinha muitas crianças, umas de somente 5 anos e mandando ver!

Só tenho a dizer que foi uma experiência única recomendo à todos que experimente pelo menos uma vez na vida. Eu não vejo a hora de voltar. Era um dos must-do's da Nova Zelândia que ainda não havia feito. Durante o verão é possível realizar o Tongariro Crossing, bem perto dali, no mesmo parque. É uma caminhada de 8hrs (18km) que sobe o Mt Tongariro e passa por várias crateras. Se tudo der certo em Novembro estarei fazendo, também mais um must-do.
congestionamento na pista!

Wednesday, 1 October 2008

Sobre rock e álcool

Fonte: Whiplash.net

O que os fãs do rock e suas vertentes pedem para beber num bar?

Rock n' Roll: Pede qualquer coisa com alcool. Bebe até morrer sufocado no próprio vômito.

Heavy Metal: Cerveja. Bebe demais e se mantém firme.

Thrash Metal: Pede gasolina.

Power Metal: Pede uma poção mágica.

Viking Metal: Pede hidromel. Fica extremamente bêbado, mas não cai.

Black Metal: Pede sangue de uma virgem.

White Metal: Pede água benta. Afinal, álcool é pecado.

Grunge: Pede Veneno. Não é atendido e decide comprar uma arma.

Rock Progressivo: Pede uma batida. Bebe pouco.

Metal Progressivo: Pede uma batida com tudo que tem direito. Pede várias esperando uma que chegue à perfeição. Fica bêbado e se torna um chato.

Hard Rock: Pede Jack Daniels. Fica bêbado e sai jogando TVs pelas janelas de hotéis.

Gothic Rock: Pede uma taça de vinho e diz que pensa em se matar.

Gothic Metal: Pede uma garrafa de vinho e logo depois se mata.

Doom Metal: Acha o vinho ruim e se mata.

Emocore: Não sabe o que escolher e começa a chorar.

Hardcore: Pede uma smirnoff ice ou qualquer coisa fraca para dizer que bebe.

Punk Rock: Pede uma cachaça barata, para não alimentar o sistema.

Glam Rock: Pede qualquer coisa colorida e brilhante.

New Metal: Pede a bebida mais forte querendo dar uma de bonzão e cai no primeiro gole

Indie Rock: Pede um refrigerante.

New Wave: Pede água.


Valeu Xunda por essa!

Tuesday, 23 September 2008

Ponha a mão na massa

É muito importante sermos independentes. Quanto menos dependermos de outros melhor. E ao mesmo tempo que nos tornamos independentes sempre aprendemos algo. Nunca me imaginei mexendo no meu carro, desmontando e consertando. Um mecânico talvez nunca tenha imaginado viajar pelo mundo afora. Aprendi a cozinhar quando vim pra cá, e aprendi muitas outras coisas também. Eu que de carro não manjava quase nada agora já sei um pouco mais simplesmente porque eu meti a mão. Todo mundo faz isso, por que eu não posso também? Não dá nada sujar a mão. E muitas vezes podemos economizar horrores de dinheiro.

Começei de leve, aprendi a trocar a água do radiador, dando uma lavada por dentro dele, completar com água e anti-freezing/boiling. Trocar o óleo e o filtro veio logo depois, sem muito segredo também. Custa NZ$ 80 uma troca de óleo numa oficina e tem que marcar hora e perder uma tarde inteira de trabalho. Eu faço a mesma troca num fim de semana em menos de meia-hora, com um custo de 30 pila (óleo e filtro). E há umas semanas atrás uma velhinha no trânsito me cortou a frente e acabei batendo nela. Acabei fazendo o trabalho, apesar de ter sido reembolsado pela seguradora dela. Carro quebrou? Ligue para Auto Mecânica Amaral Ltda.

Trocar pneu é passar musse no pão!




Friday, 19 September 2008

RIP Rick

É realmente uma pena ver nossos ídolos partirem. Veremos isso acontecer ainda muitas vezes. Richard Wright foi um elemento indispensável do Pink Floyd, com seus teclados lisérgicos como em Welcome to the Machine, uma das minhas favoritas da banda.

Rest In Peace mate...



Saturday, 13 September 2008

Free Antivirus

Eu sempre utilizei o Norton como antivirus. Nunca tive problemas com ele. Também nunca paguei por um anti-vírus na vida, sempre conseguia a licensa de um jeito ou de outro. Quando comprei meu laptop ele veio com o Norton também, mas depois de uns meses um moleque de Wellington me convenceu a desinstalar (mesmo com a licensa ainda válida) e utilizar o NOD32. Isso sim é um software para proteger seu computador, extremamente leve e funciona direitinho.

Mas após um ano ele expirou também, e foi bem na época que a Telecom NZ (meu provedor de acesso à internet) começou a oferecer gratuitamente à seus clientes uma licensa de anti-vírus. Achei muito legal a iniciativa, só que é a porra do McAfee. Já havia ouvido muitas pessoas falarem mau dele e agora me juntei à esta comunidade. Utiliza muitos recursos do computador e não funciona!!! Depois de um mês com ele instalado aqui me arreneguei e fui à caça de um novo anti-vírus para mim. Queria muito o NOD32, mas teria que desembolsar NZD60 (R$80). Nunca paguei por um anti-vírus na vida (na real nunca paguei por nenhum tipo de software!) e não vai ser desta vez ainda. Então fui à caça de um free. Depois de pesquisar em várias listas de discussões e outros sites escolhi o AVG Free. E logo depois de instalá-lo ele detectou um spyware. Mas que filha da puta este McAfee! Que vergonha pra eles, descobri que é um das piores ferramentas disponíveis no mercado, com uma das mais baixas taxas de eficiência em encontrar vírus, trojans, spy-wares, etc.

Vou tentar este AVG e ver no que dá, se eu não escrever mais sobre isso é porque estou gostando dele. Caso contrário talvez eu compre um software pela primeira vez na vida. NOD32 é claro! Gostaria de ouvir o que vocês caros leitores deste blog tem a dizer sobre o AVG e/ou anti-vírus em geral. Obrigado!

Wednesday, 10 September 2008

Volvo e seus veículos à prova de morte

Sabemos que quando compra-se um automóvel da Volvo está sendo comprado um dos carros mais seguros do mundo, com air-bags moderníssimos, controle de estabilidade, chassis desenhados para absorver impactos e muitos outros recursos. Só faltava o carro automaticamente tomar o controle quando o motorista comete um erro ou pega no sono. E é exatamente isso o que os engenheiros da montadora sueca estão querendo lançar no mercado. Seu objetivo é reduzir o número de mortes para zero em seus carros até 2020.

Para alcançar esta meta a Volvo utilizará uma combinação de radares, câmeras e sensores a laser instalados no veículo.

Segundo Anders Augensson, diretor da Volvo na Nova Zelândia, "Nós estamos com esperança de construir um carro que não seja dependente somente das habilidades do motorista. O carro vai fazer várias coisas por ele e tomar cuidado de cada situação em que o motorista não consiga lidar."

O "Collision Warning System" utiliza um sensor que monitora continuamente a distância entre o carro e o veículo à frente. Se a distância diminui o motorista será avisado e em caso de diminuir muito rápido o carro irá freiar automaticamente para evitar que o acidente ocorra, ou pelo menos diminuir o impacto da batida, diminuindo assim o risco de morte.



O "Driver Alert" é uma função que detecta se o motorista está distraído ou cansado. Uma câmera é utilizada para monitorar o movimento do carro na pista baseado nas linhas da estrada e verifica se o carro está sendo dirigido controladamente. Se o nível de controle baixa um alarme é tocado e uma mensagem avisa o motorista.



O "Lane Departure" avisa o motorista se ele está cruzando as linhas da pista sem perceber. Ele detecta as linhas na estrada e corrige o curso do carro colocando-o no meio da pista. Numa outra situação este mesmo recurso detecta outros veículos vindo em sentido contrário na pista em que o carro invadiu e também corrige o curso do carro colocando-o novamente na pista original.



Eu vi essa reportagem na TV esses dias e achei muito interessante. Eles ainda ressaltaram que se mais de um carro Volvo estiver na mesma cena eles irão se comunicar e assim agir juntos de maneira mais eficiente. E isso foi o que eu achei mais legal de tudo isso, pois provavelmente as outras empresas também lançarão esses recursos nos seus carros. E se for estabelecido um protocolo padrão internacional de comunicação, todos os carros poderão estar se comunicando em tempo real e assim nossas estradas seriam muito mais seguras. Bacana.

Monday, 25 August 2008

Observações Olímpicas

Alguns fatos dos jogos olímpicos de Beijing que me chamaram a atenção:

Al-Gassra RoqayaAl-Gassra Roqaya: Atleta do Bahrain que competiu no atletismo 200m rasos. Por ser muçulmana ela tem que competir com o corpo todo coberto, pois Allah disse que toda mulher só pode mostrar o corpo para seus familiares próximos e ao seu marido, caso contrário vai para o inferno. Quem não lê o Alcorão e não reza cinco vezes por dia voltado para Meccah também vai para o inferno. Então que eu vá para o inferno mesmo, pois pelo menos lá toca rock and roll. Ela foi eliminada nas semifinais apesar de ter vencido algumas corridas nas fases iniciais.

Mahe Drysdale: O neo-zelandês tri-campeão mundial de remo na classe individual era um dos favoritos para a medalha de ouro. Mas na última semana de competição ele contraiu uma salmonela e ficou altamente desidratado e fraco, perdeu 4kg em apenas dois dias. Foi disputar a semi-final passando mal mas conseguiu se classificar. Três dias mais tarde na final ele ainda não tinha se recuperado totalmente e chegou a estar liderando a prova, e à menos de 100m do final ele simplesmente esgotou todas as forças, mas ainda consegui terminar em terceiro. Ele teve que ser retirado da água pelos paramédicos e levado para check-up, mas retornou minutos depois para receber a medalha de bronze no pódio junto com os demais atletas.

Seleção Brasileira Masculina de Futebol: Puta que pariu hein!

Estados Unidos: Como são otários! Não admitem ficar em segundo lugar. Por isso eles consideram o total geral de medalhas mais importante do que o número de ouros. Websites como o da NBC mostram os EUA em primeiro lugar no ranking. Eu acho que o mérito está todo no atleta que ganhou o ouro, por isso que o ranking é ordenado assim, ou seja, ordenado pela quantidade de campeões que cada país produziu. Estão admitindo o quão loser eles são, pois é o país que mais tem pratas = país que mais perdeu na final. E se é assim que eles acham que funciona, então o Micheal Phelps não é o maior atleta da história porra nenhuma. A atleta de ginástica olímpica Larissa Latynina da Ucrânia (na época União Soviética), é a maior medalhista da história com 18 medalhas (9 ouros, 5 pratas e 4 bronzes). Phelps fica em segundo lugar com 16 (14 ouros e 2 bronzes), talvez nos próximos jogos ele assuma o primeiro lugar. Valeu rodrigao.net pela ajuda nessa aqui.

Natalie du Toit: Pela primeira vez na história das olimpíadas um atleta amputado participa de um evento junto com os demais. A nadadora sul-africana que perdeu uma das pernas num acidente de carro em 2001 competiu na maratona de 10km e terminou na 16ª posição, à frente de oito competidoras. Ela terminou em quarto lugar no campeonato onde consegui o índice olímpico para participar desta prova. Medalhista nas Para-Olimpíadas de Atenas em 2004, ela também buscará mais medalhas em Setembro quando competirá nos jogos Para-Olímpicos de Beijing.

Jorgen Persson: O sueco de 42 anos representa seu país no tênis de mesa nas olimpíadas desde que o esporte foi incluído nos jogos de 1988 em Seoul. Apesar de ter vencido vários campeonatos mundiais, individuais e duplas, jamais conseguiu uma medalha olímpica. Ele foi para Beijing não sendo favorito e acabou nas semi-finais com outros 3 chineses, que são no momento os três melhores do mundo no ranking. Acabou em quarto lugar, asissti o a semifinal e foi um belo jogo, com muita velocidade e técnica.

Mark Todd: Mais velhão que o sueco é o neo-zelandês Mark Todd de 52 anos, que compete no hipismo desde os jogos de 1984 em Los Angeles. Possui 2 ouros, uma prata e dois bronzes em sua carreira olímpica. Não teve um bom desempenho este ano.

BMX: Eu achei muito legal que este esporte agora faz parte dos jogos olímpicos. Muita ação e quebraceira!

Angel Valodia Matos: O lutador de taekwondo cubano que pode ser banido para sempre de competições internacionais por ter dado um chute na cara do juiz. Nada justifica este ato, e se ele estava em condições de luta, por que demorou tanto tempo para se levantar? Feio....

Cerimônia de encerramento: Muito bonita, com muitas cores, fogos de artifício e o Jimmy Page velhão mandando Whole Lotta Love. E deu pra sentir que o espírito dos jogos de Londres será bem urbano e moderno, ao contrário deste que também foi moderno, mas ao mesmo tempo fez com que a história do país fizesse parte dos jogos.

Fiquei triste quando a chama se apagou, é a hora em que me dei conta que os jogos realmente terminaram. Agora são mais quatro anos para tudo acontecer novamente. Achei que o desempenho geral do Brasil foi bom, apesar de poder ter ganho pelo menos 4 ouros a mais no futebol, vôlei e vôlei de praia. A Nova Zelândia também ficou dentro do que era esperado, com 3 ouros, 1 prata e 5 bronzes.

Thursday, 14 August 2008

Um velho desabafo

A recente indignação pela atitude da imprensa que publica artigos sem pensar duas vezes me fez lembrar de uma edição de alguns anos atrás da revista Viagem que tinha uma reportagem sobre a Nova Zelândia. O título da matéria era "Chiclete com Kiwi". O cara que escreveu isso tem que ser muito idiota, pois nem ao menos conhece a riqueza da música e da cultura do seu própio país.

Chiclete com Banana para que não sabe é uma música do Gilberto Gil onde ele conta a mistura do samba brasileiro com o rock do Tio Sam e cria o Samba-Rock, e assim mistura o chiclete americano com a banana brasileira. Então um título mais adequado para a matéria da revista seria "Banana com Kiwi". Antes de fazer piadinha é bom pesquisarmos um pouco melhor. Eu procuro pesquisar o que eu falo antes de publicar aqui no blog, embora eu acredito que já tenha falado merda também. Mas a diferença é que eu não sou profissional, e não recebo salário para publicar asneiras e ficar alimentando leitores com informação errada. Além disso a reportagem foi muito fraquinha, 14 dias na Nova Zelândia e nem foi e nem citou vários lugares que são um must-do do país. Uma pena que não tenho mais a revista e não consegui achar a matéria na web-page deles.

Talvez para ele Chiclete com Banana não significa nada mais, nada menos do que aquela banda de axé. Esta bosta, pagode e funk são a vergonha cultural de nosso país. A única música de axé que eu gosto é Carolina IV do Angra... axé-metal!!!

Thursday, 7 August 2008

Sobre as Olimpíadas

Estava aqui navegando na internet no site oficial das olimpíadas, wikipedia e outros, assim como a maior parte do mundo deve estar fazendo também. E descobri que o cricket já foi esporte olímpico, somente em uma única olimpíada, em 1900 em Paris. E existe um movimento para que incluam este esporte em Londres 2012. Tomara que não!!!

E outros esportes como rugby, golf, hóquei no gelo já fizeram parte das Olimpíadas Modernas. Agora, o que mais me chamou a atenção foi que o cabo de guerra (tug of war) já esteve nas olimpíadas, de 1900 à 1920, sendo que a Grã-Bretanha foi quem mais acumulou medalhas. Esta é uma foto dos jogos de 1904 em Saint Louis, EUA.



Que viagem, parece gincana!

Monday, 4 August 2008

Niue, the WiFi-Nation

Poucos sabem onde fica Niue, eu mesmo nem sabia que existia até pouco tempo atrás. Trata-se de uma ilha do Pacífico Sul, localizada entre Tonga, Samoa e Cook Islands e possui associação livre com a Nova Zelândia, ou seja, compartilha a mesma moeda, legislação, e governo (embora tenha seu próprio líder e parlamento independentes). É um atol minúsculo e por isso uma das menores nações no mundo com apenas 260km² e população de somente 1679 pessoas, pois muitas delas migraram para a Nova Zelândia em busca de uma vida melhor, especialmente depois do ciclone Heta ter destruído boa parte da ilha em 2004.

Mas o que me fez escrever sobre Niue é o fato de ser o primeiro país a ter internet WiFi gratuita à disposição de toda a população e visitantes, totalmente free desde 2003. Serviços de email gratuito já eram disponíveis na ilha desde 1997. Tudo isso graças ao incentivo da Niue Internet Users Society, a mesma que controla o domínio .nu e o único ISP no país.

Num país pequeno e isolado, onde vive-se ou das plantaçoes de baunilha, ou dos milionários que gastam dinheiro quando param na ilha com seus iates nos seus passeios pelas ilhas polinésias, a idéia foi muito bem vinda. Principalmente pelo fato de que os cabos telefônicos convencionais são facilmente danificados por diversos fatores naturais, como os já citados ciclones todo ano entre Novembro em Março, maresia, raios e umidade e por isso frequentemente os moradores ficam sem telefone. Com internet free a população tende a utilizar o computador como principal meio de comunicação. E também facilita o turismo na região pois disponibiliza o recurso à todos os turistas que chegam na ilha, inclusive o tiozinho do iate.

Já existe nos EUA conversas políticas e movimentos em favor da disponibilização de internet wireless de alta velocidade gratuita para uma vasta área do país. Maiores informações em freebroadbandnow.org. Acredito que num futuro breve internet free estará disponível em vários países do mundo, pois é um grande motivador para a inclusão digital, principalmente nos subdesenvolvidos. O objetivo é tornar o acesso à internet tão público e gratuito quanto ao acesso à TV aberta. Eu rio de mim mesmo quando tinha que pagar 35 pila pro Terra todo mês para ter aquela conexão de merda de 27kbps. Aqui eu pago para ter broadband em casa, mas antigamente eu costumava filar internet wireless de uma lojinha aqui no centro da cidade, onde a rede não tinha senha. Foda era ter que arrumar estacionamento exatamente na frente da loja pra conseguir sinal... foda.

Friday, 1 August 2008

Sobre a Nova Zelândia

Atendendo à pedidos aqui vão duas curiosidades sobre a Nova Zelândia:

A Nova Zelândia possui dois hinos nacionais oficiais, um deles é o famoso hino oficial do Reino Unido God Save The Queen (mostrando a forte influência da coroa inglesa sobre o país ainda nos dias de hoje). Países como Canadá, Austrália, Jamaica, Bahamas e Tuvalu atribuem ao mesmo hino status real (royal) no país, além de terem o seu próprio hino oficial.

O outro hino oficial da Nova Zelândia chama-se God Defend New Zealand e surgiu a partir de um poema e posteriormente composta a melodia em 1876. O hino constitui-se de cinco versos, todos em inglês, e também traduzidos em Maori e pode ser cantado nos dois idiomas. Normalmente em jogos o hino é cantado em inglês e Maori, e somente o primeiro verso (versão simplificada):
E Iroā Atua,
O ngā iwi mātou rā;
Āta whakarongona,
Me aroha noa;
Kia hua ko te pai
Kia tau tau atawhai;
Manaakitia mai
Aotearoa

God of Nations at thy feet
In the bonds of love we meet;
Hear our voices we entreat;
God defend our free land;
Guard Pacific’s triple star;
From the shafts of strife and war;
Make her praises heard afar
God defend New Zealand.
A outra curiosidade é que os jogadores realizam o Haka antes das partidas, especialmente no Rugby. Haka é uma dança Maori que possui diversas variações, podendo ser utilizada em vários momentos tais como festivais, celebrações, e nas guerras com tribos rivais com o objetivo de intimidar o inimigo. E este é o motivo pelo qual o All Blacks (seleção Neo-Zelandesa de Rugby) o faz a cada partida.



Monday, 28 July 2008

Cricket e Netball

As Olimpíadas estão chegando! Momento de festejar em todo mundo, dar-nos às mãos e todo o resto destas frases clichês e coisa e tal... Não que eu não goste, muito pelo contrário, eu acho irado e vou tentar assitir o máximo que puder. Tenho sorte este ano pois estou há apenas 4 horas de diferença da China, ou seja, não vou precisar acordar de madrugada para assirtir ao vivo. A Kelli tem mais sorte ainda! Mas não é sobre Beijing 2008 que vou falar hoje. Venho falar de dois esportes, que ainda bem que não fazem parte dos jogos olímpicos e tomara que nunca sejam incluídos!

O primeiro é o Cricket, que esporte mais palha! Nem sei por onde começar.. sério... Na Nova Zelândia é o segundo esporte, somente atrás do Rugby. Quem não é durão suficiente pra jogar rugby acaba jogando cricket. É uma espécie do nosso velho e bom "Taco" mas com mil e duzentas e trinta regras à mais. Quem viu aquele filme "A Praia" com o Leonardo Di Caprio vai se lembrar daquele negão que era inglês e tava tentando ensinar o jogo pra galera na praia e ninguém entendia. E é bem assim mesmo. O nosso taco é massa, jogava muito no meu bairro e na praia também.

No cricket o cara joga a bola e tenta derrubar a casinha, só que ela tem mais ou menos 1m de altura, e aí tem um cara que fica na frente desta casinha com um taco na mão e ele tenta dar uma "paulada" na bola o mais longe possível. Até aí o jogo parece normal, mas só que a partida dura cinco dias e ainda pode terminar empatada. Pois tudo conta ponto, se o cara apanha a bolinha no ar, se deixa cair, se a bola bate no pé do cara do taco, se vai pra frente, pra trás, innings, runs, overs, outs, etc etc. E o pior é que às vezes o jogo está empatado no quarto dia e jogam o quinto dia inteiro e não desempata!!! Eu fico de cara, imagina asisstir por cinco dias o jogo lá no estádio. E ainda por cima eles param para almoçar, sim, para almoçar durante o jogo, pois eles jogam por horas e horas.

Se voce pensa que o jogo é desgastante pois joga-se várias horas por dia e em cinco dias estais enganado! Os caras mal correm e por isso que é o esporte número um na Índia (são os melhores do mundo), Bangladesh e Paquistão pois lá é muito quente pra ficar correndo debaixo do sol jogando futebol. Falando nisso quando o jogo é realizado num dia quente os dois times jogam com uniformes brancos, não dá pra entender quem é quem. E pra se proteger do sol alguns usam um chapéu Panamá muito brega, inclusive o juíz! E a roupa dos caras parece que é dos anos trinta. E quando começa a chover eles interrompem o jogo na mesma hora, pois as donzelas não jogam com o chão molhado. E ainda, quando o dia está muito nublado o juiz tem um medidor de intensidade de luz, e se a luz estiver abaixo do valor x o jogo também é interrompido pois está "escuro" demais.

Aqui vai um trecho do "Brasil x Argentina" do cricket: Índia x Sri Lanka, um clássico! Vejam o tiozinho de chapéu!



O único crédito que dou pros caras é que às vezes eles pegam a bola muito rápido com uma só mão, muito reflexo e agilidade.. só isso...

O segundo esporte é o Netball, somente para as meninas... coitadas... também a mesma história, não são "macho" suficiente para jogar basquete e vão jogar este jogo em que a cesta não tem nem tabela. A jogadora tem que parar quando recebe a bola e na hora de arremessá-la na cesta todas tem que parar, inclusive as adversárias e ninguém pode tocar na pessoa com a bola, muito menos pular pra bloquear o arremeso, só vale esticar as mãos!!! O cara nesse vídeo colocou uma nota no início dizendo que a prorrogação deste jogo foi um clássico!!!! NZ x Austrália.



Netball parece uma mistura de basquete com amarelinha! Só falta elas cantarem cantigas de infância enquanto jogam. E nos times da NZ tem umas gordas ridículas jogando, lentas e sem noção. E na liga os times tem nomes como Northern Mystics, Canterbury Tactix, Waikato Magic e o pior: West Coast Fever! E o pior é que a NZ tem um time feminimo de basquete que inclusive vai jogar em Beijing, mas ninguém dá muita atenção, as heroínas são as do Netball.

só pra porco, como diz meu avô.... esporte mesmo é futebol de botão!

Friday, 11 July 2008

Belli-Belli

hmmmmmm!!!Esta receita é uma variação do Peixe à Belle Meunière, um prato delicioso e facilmente encontrado nos restaurantes do litoral de Santa Catarina. Consiste em um filé de peixe grelhado coberto com um molho de camarão, alcaparras e alho na manteiga. Nesta receita o peixe não é empanado e ao invés de manteiga utilizei óleo de oliva. Óleo de canola pode ser utilizado também. E o peixe é assado no forno ao invés de frito, deixando assim o prato um pouco mais saudável.

Ingredientes (2 porções):

500g de filé de peixe (pref. salmão, mas pode ser peixe de carne branca);
300g de camarão limpo;
5 dentes de alho picados;
3 colheres de sopa de alcaparras;
1 limão;
óleo de oliva ou canola;
sal e pimenta à gosto;

Preparo:

Tempere o peixe com sal, limão e pimenta e coloque-os numa forma, aqueça o forno à 200C e asse por 20 a 30 minutos ou até o peixe estiver assado uniformemente. Numa frigideira aqueça o óleo, coloque o alho, logo em seguida o camarão e por último as alcaparras, mexendo sempre. Cozinhe todos estes ingredientes em fogo alto e não mais que 4 ou 5 minutos. Retire o peixe do forno, coloque no prato e derrame o conteúdo da frigideira sobre ele. Sirva com arroz branco ou com açafrão, mas isso é outra receita!

Vinho recomendado: Sauvignon Blanc.



Thursday, 10 July 2008

WWF - Pegada Ecológica

Estou aqui encaminhando um post do meu amigo Wendel sobre um questionário feito pela WWF Brasil onde avalia o seu comprometimento com o nosso planeta em 15 questões básicas sobre nosso comportamento cotidiano. Assim como ele eu também fiquei decepcionado com meu resultado, apesar de eu ter um pouco de consciência ambiental, colocar em prática às vezes não é tão fácil assim...

Faça você também o teste: WWF Pegada Ecológica



Sunday, 29 June 2008

O Legado de Nandor



Tradução livre do Dominion Post, 26/06/08.

Nove anos depois de sua "colorida" entrada no parlamento, Nandor Tanczos hoje se despede dos seus colegas. Ele é a prova que não se pode julgar um livro pela sua capa.

Seus dreadlocks que vão até seus joelhos, fuma maconha regurlamente e seu primeiro discurso no parlamento começou com saudações à Jah (Most High Jah Ras Tafari). Foi pisoteado por policiais em Melbourne durante um protesto contra a globalização e é provalmente o único parlamentar da história da Nova Zelândia a ser investigado por porte de drogas. "Sim eu ainda fumo maconha, é um sacramento da minha fé. É uma religião garantida sob os direitos humanos internacionais. Continua a ser ilegal, entretanto é de meu direito praticar a minha fé".


"A realidade dentro do parlamento é que você só consegue fazer coisas quando você recebe apoio. Eu encarei muito preconceito quando eu começei, e eu acho que uma das coisas que aconteceram foi que todos esses esteriótipos foram minimizados ao longo de todo o tempo."

Nascido na Inglaterra filho de pai húngaro com mãe sul-africana, ele se mudou para a Nova Zelândia com 9 anos de idade e cresceu numa família com consciência política embora não afiliada a nenhum partido. Durante sua adolescência, no período brit-punk teve uma empatia pela anarquia e ficou um tempo na Inglaterra onde participou de vários protestos. Formado em sociologia na Waikato University, Nandor se juntou aos Greens (partido verde) em meados dos anos 90.

"O trabalho político é muito abstrato no sentido de criar leis e oportunidades para as pessoas. Na hora de se construir algo, acaba sempre indo para as mãos de outros. Eu estou com muita vontade de colocar minha mão na terra novamente e ver coisas reais se tornarem frutos. Quero voltar a me envolver com política local e comunitária e é um ótimo momento para eu comprar umas cabeças de gado e procurar um lugar longe das pessoas e simplesmente sentar e clarear minha cabeça. Eu realmente preciso meditar e procurar guiança espiritual."

"Eu gosto de pensar que eu mudei o parlamento, mas acho que também é verdade que ele me mudou, para o bem e para o mal. Eu ganhei uma enorme experiência e habilidade em negociações. Em termos de espiritualidade, é um lugar muito envenenado. Não é um lugar onde pessoas gastam muito tempo discutindo valores filosóficos. É muito oportunístico e com um campo de visão muito curto. Respirar aquele ar por nove anos fez com que tirasse o polimento de minha alma. E isso é uma das coisas que eu quero fazer agora, tirar um pouco desta crosta de mim."

Saturday, 28 June 2008

Urban Dictionary

Urban Dictionary, o dicionário de gírias onde qualquer pessoa pode inserir uma palavra com a sua própria definição. É muito útil para achar definições sobre gírias em geral. São os mesmos que publicaram o livro Mo' Urban Dictionary: Ridonkulous Street Slang Defined. Gírias podem variar ou ter um significado totalmente diferente em diferentes países. Ex:

gee noun 1 A gangster or someone pretending to be a gangster: What's up Gee? 2 Irish slang for female genitalia.

Com a ajuda deste website finalmente consegui entender perfeitamente o termo prick:

prick adj 1 an all around fucktard, dickweed, assrat bastard, that can easily be mistaken for a boner-biting dick-fart fuckface 2 A total asshole, jerk, or jackoff: You damn prick!

E como qualquer pessoa pode inserir praticamente o que quiser é óbvio que há muito lixo, mas alguns deles são memoráveis:

michael jackson noun 1 The process in which a black man becomes a white woman: Michael Jackson went through a Michael Jackson 2 A made up creature that is used by parents to make their kids do what they are told: Get to bed now or Michael Jackson will tuck you in at night!

Dicionários normais são muito formais e devem continuar assim. Precisamos deles todos os dias do jeito que são. Mas quando se trata de gírias e principalmente palavrões é muito importante termos a idéia mais precisa possível do que a palavra quer realmente expressar. Por isso que eu acho válido todos estes exemplos dados pelos "autores" neste website, na maioria das vezes engraçados, pois refletem realmente o significado de todo um contexto dentro de uma palavra só.

slut noun a woman with the morals of a man.

fuck noun 1 the universally recognized "F word" 2 Implying complete and utter confusion: What the fuck? 3 a really stupid person.
verb to procreate: You fucked like a whore!
adj can be used to modify or enhance any word for more passion: This fucking guy was so fucking weird.
int expresses disgust, complete suprise or joy: Oh Fuck! Holy Fuck!

Aprender e utilizar gírias é preciso. Você e as pessoas ao seu redor se sentem mais descontraídas para o bate-papo e te deixa mais seguro ao levar as conversas a níveis mais elevados. A conversa fica muito "quadrada" quando não se tem gírias. Não se esqueça de usar o present perfect tambem!

Saturday, 21 June 2008

Dream Theater - Constant Motion

From Systematic Chaos (2007). Muito inspirado em Metallica dos anos 80. Sonzera!

Thursday, 5 June 2008

Lembrando o Dia do Meio Ambiente


Milagre dos Peixes - Milton Nascimento

Eu vejo esses peixes e vou de coração
Eu vejo essas matas e vou de coração à natureza
Telas falam colorido de crianças coloridas
De um gênio televisor
E no ardor de nossos novos santos
O sinal de velhos tempos
Morte, morte, morte ao amor
Eles não falam do mar e dos peixes
Nem deixam ver a moça, pura canção
Nem ver nascer a flor, nem ver nascer o sol
E eu apenas sou um a mais, um a mais
A falar dessa dor, a nossa dor
Desenhando nessas pedras
Tenho em mim todas as cores
Quando falo coisas reais
E no silêncio dessa natureza
Eu que amo meus amigos
Livre, quero poder dizer
Eu vejo esses peixes e dou de coração


Friday, 30 May 2008

Money for Nothing?

Há algumas semanas atrás eu estava procurando por trabalho. Eis que quando abro o caderno do emprego do Hawke's Bay Weekend encontro um pequenino anúncio "Trabalhe poucas horas, em casa, e ganhe acima de $1000/semana enviando emails". Deve ser uma fria. Me lembrei que há muito tempo atrás quando eu era criança, minha mãe se deparou com um anúncio muito parecido no Jornal de SC, ela mandou o interesse, acho que teve que pagar pra eles, não me lembro, deve ter pago. E no final mandaram para ela um manual para fabricar sabão em casa. Sim, fazer sabão em casa e sair por aí vendendo na vizinhança e ficar rico. Me lembro que ela ficou desapontada e acho que aquela foi a minha primeira idéia de como o mundo realmente era, à parte das coisas boas da infância: jogar futebol, brincar de carrinho e assistir o Jaspion na Manchete.

Estamos em 2008 e não posso acreditar que alguém ainda esteja vendendo "Soap Business". Se bem que a Nova Zelandia ainda utiliza muitos processos arcaicos que o nosso Brasil está a milhas e milhas à frente, eu fico de cara às vezes, são tantas que eu nem consigo citar, talvez eu escreva um post sobre isso um dia. Não acredito que alguém que encontre o pote de ouro vai querer compartilhar o achado. Eu sou muito cético para este tipo de coisas, mas confesso que eu fiquei curioso e quis saber do que se trata.

Ficar aqui com a bunda na cadeira ganhando milão por semana. Milão aqui é uma grana, no Brasil mais ainda. Então eu mandei meu interesse e a mulher me ligou quase que na mesma hora, num Domingo. E disse que eu teria que pagar 25 pila, reembolsável em trinta dias, para ter acesso ao "pacote informativo".

E aí comecei a ler e tinha uns vídeos entrevistando americanos falando que ficaram ricos e um monte de bobagem, e eu já estava irritado porque não falava do que se tratava, só iam enrolando e frisando "fique rico em semanas". Eu só queria saber qual é a parada e ficar desapontado como a minha mãe ficou, e mais nada. Até que eu descobri o que era depois de muita enrolação: vender produtos da Herba Life... de porta em porta e aí você manda o pedido VIA EMAIL. Eu sabia que era furada desde o início, sabia mesmo, mas estava curioso para saber qual era a nova jogada do momento. Pelo menos não era fazer sabão, depois de vinte anos. Eu não sou vendedor, não sei vender, nunca vendi. Se tivesse expericencia talvez tentaria, porque não? Mas teria que pagar mais $400 pila para receber mais um "pacote informativo"... realmente uma furada. É uma corrente, e daqui a pouco vai ter mais gente vendendo do que comprando. Teria muita chance de bater na porta do vizinho para ofecer um suplemento alimentar e ele me dizer que também é vendedor.

Muito engraçado dizer "trabalhar em casa enviando emails". Faltou dizer a parte ruim da coisa, ter que sair na rua gastando sola de sapato. Mas é assim mesmo, sempre omite-se o lado ruim e dá-se destaque máximo ao mínimo detalhe do négocio, porque é fácil. É a parte "legal" da coisa.

É como se fosse "comece uma grande carreira andando de elevador". Porque você é um fudido que tem que pegar o elevador do sindicato pra carimbar o vale-transporte todo mês. Ou ainda "Desfrute o conforto de um Mercedez-Benz", pois você tem que pegar o busão com neguinho suado e a velha louca toda mijada contando que já foi rica e o governo tirou tudo dela.

Recebi os meus 25 pila no outro dia, pelo menos não gastei nada. Por isso que paguei para ver, ao contrário não teria feito. Mais uma vez se comprova a lição da vida: Só político no Brasil ganha dinheiro sem fazer nada. Temos que nos mexer e ir atrás para sermos alguém. Estudar e trabalhar duro para não ficar para trás. Ninguém tem uma "jogada" para ganhar dinheiro fácil. E se alguém tem, provavelmente é algo desonesto de alguma maneira.

O foco talvez seja procurar a felicidade de alguma outra maneira. Precisamos sim de dinheiro para viver mas isso não é tudo. As pessoas colocam o foco no dinheiro, tudo girando em torno do dinheiro. Eu quero viajar o mundo e preciso de dinheiro pra isso. Tem aquele vídeo estúpido "The Secret" diz que com pensamento positivo conseguiremos coisas, mas os exemplos que eles dão são mulheres com colar de diamantes e homens com carros e mansões. Parei de ver no segundo capítulo. Está tudo errado, há muita ostentação e egoísmo no mundo. O poder é utilizado para si mesmo, e só isso. Não precisamos provar para ninguém quem somos nem o que temos. O mundo precisa ter mais humildade. Seria um bom começo.

Wednesday, 16 April 2008

2012

Estava aqui limpando camarão e pensando nas formas de vida do mar. Me lembrei dos navios japoneses que vem aqui nos mares do sul caçarem milhares de baleias por ano e alegam terem autorização de captura para "fins de pesquisa". Para pesquisar novos menus nos restaurantes, imagino. O Peter Garret do Midnight Oil e agora também ministro do meio ambiente da Australia tá puto da cara. Alguma coisa vai ser feita a respeito, tomara. E a nossa Amazônia? O nosso presidente disse há um tempo atrás que não precisamos nos preocupar tanto, o desmatamento da nossa selva não está tão acelerado assim. Tenho um recado para você Luis Inácio, e tomara que isso chegue à você de algum modo: VAI TOMAR NO TEU CÚ!

Segundo a cultura Maia, no final de 2012 fecha-se um ciclo de 5125 anos e a partir daí começa-se uma nova fase de consciência humana. Há muita controvérsia nesse assunto e pode ser que não aconteça nada. O que acho é que do jeito que o mundo está se acabando, a Antártida derretendo, secas, aquecimento global, previsão de escassez de petróleo, pode acontecer de haver uma grande consciência mundial para salvarmos nosso planeta e economizarmos os recursos naturais, ou não. Tem muito binarda no mundo, principalmente no poder. Alguém lembra do Live Earth do ano passado? A maioria não lembra mais. Passou aqui na tv da Nova Zelandia a Xuxa cantando Ilariê no Rio e falando para pensarmos positivo, só pensar, energia positiva e o mundo vai se salvar... patético. Tu também Xuxa, vai tomar no cú. Sim, estou brabo, e com a testa franzida.

Não sei onde estarei em 2012 e não sei o que estarei fazendo. Não sei se isso é bom ou ruim, eu gosto do desconhecido. Quero estar bem, só isso que sei. E quero ver se alguma coisa vai realmente acontecer. Eu acredito que possa acontecer sim, quem sabe? Temos que viver mais 4 anos para saber.

Tuesday, 1 April 2008

WWOOF e viagem

WWOOF (World Wide Opportunities on Organic Farms) iniciou-se no Reino Unido em 1971 e três anos mais tarde chegou na Nova Zelândia e hoje encontra-se presente em vários países do mundo (especialmente no "primeiro mundo", mas também em lugares como India, Israel, Uganda e inclusive Brasil). WWOOF permite voluntários a se hospedar em fazendas orgânicas e ajudar em vários projetos na propriedade ao mesmo tempo aprendendo técnicas orgânicas e auto-sustentáveis. Existem mais de 800 membros registrados no WWOOF na NZ.

Segundo o guia do WWOOF, os principais objetivos deste movimento são:

- Viabilizar pessoas a aprenderem em primeira mão técnicas de cultivo orgânico;
- Habilitar pessoas que moram na "selva de pedra" a experimentar a vida numa fazenda;
- Mostrar meios alternativos de se viver;
- Aumentar o movimento pró-orgânico no mundo;
- Encorajar o movimento para sermos auto-suficientes;
- Conhecer pessoas interessantes de diferentes países e fazer amizades e contatos úteis;

O termo "fazenda" pode muitas vezes significar outros lugares tais como: lojas orgânicas, pousadas, restaurantes, templos buditas ou simplesmente pessoas que em suas casas procuram viver organicamente e gostam de conhecer novas pessoas. Aqui na NZ algumas WWOOF Farms são totalmente auto-suficientes, geram energia através do sol e do vento, obtém água pura da nascente, cultivam todos os vegetais que consomem e tem animais que suprem ovos, leite e carne. Não é lindo? 100% auto-suficiente e 100% livre de sprays!

Basicamente as pessoas ficam na fazenda por quanto tempo quiserem, à combinar com o proprietário, normalmente uma ou 2 semanas e trabalham em média 4 a 5 horas por dia, trabalho em geral leve, 5 ou 6 dias por semana e ganham acomodação e comida em troca. Tornam-se membros da família e grandes e sinceras amizades são construídas.

Na primeira vez que ouvi falar disso pensei: Isso é só para pessoas que querem viajar barato ou estão mal de grana, ficam internadas no meio do mato, passando mal. Mas não é verdade. É óbvio que tem vários lugares que são terríveis, eu tive a experiencia em um deles. Mas a questão é analisar o livro, tem a descrição dos lugares, um texto elaborado pelos proprietários. Dá para sentir como será o lugar. E se não estiver gostando é só ir embora. Fiquei em 5 lugares diferentes e deles somente um foi ruim. Do resto, só posso contar coisas boas tais como ter feito a melhor surf session aqui na nz e talvez uma das melhores da minha vida! Ficar "de rei" hospedado numa pousada beira mar só eu e minha gata, caiaques, com lareira e uma cama rústica gigantesca e muito confortável e com a lua formando seu rastro no mar tarde da noite na janela do quarto... Poder conhecer uma família maravilhosa em Gisborne que nos acolheu e nos ajudou tanto em tantas coisas que nem dá pra contar... Muitas expêriencias são trocadas, muitas coisas aprendi.

Outra coisa interessante é que desse modo convive-se com pessoas do país, e assim aprendemos um pouco de sua cultura, costumes, etc, diferente de somente ficar em backpackers e hotéis com outros estrangeiros e achar que está realmente conhecendo o país. Quero dizer que viajar um país não é somente ir lá no monumento e tirar foto, fazer os pacotes turísticos, ir no museu e dar pipoca aos macacos. Conhecer o povo do país é tão importante quanto ver as suas atrações. Faz você entender porque o país é daquele jeito, porque as pessoas são e agem às vezes diferente de nós. Pesquisar um pouco da história do país antes de ir também ajuda.

E viajar sem nada programado também é muito legal, não saber se vai pegar a estrada sentido norte ou sul, não ter idéia do que vai acontecer e onde estará amanhã. Deixar rolar, se estiver bom fique mais alguns dias, senão prossiga o caminho, sem pressa, curtindo! E você vai saber quando é hora de voltar pra casa. É assim que venho fazendo. Óbvio que também tenho que trabalhar, precisamos de dinheiro neste mundo em que vivemos.

Recomendo à todos que se um dia tiverem a oportunidade de fazer um WWOOF, que façam, sem medo. Vai ser uma experiência muito legal e também um grande aprendizado.

Saturday, 29 March 2008

Coquinho em Napier

Registrado por mim na data de hoje. Um coquinho muito cabrero na Marine Parade, bem no centro de Napier. Swell 3-5ft E/SE, vento N.

Thursday, 13 March 2008

Cuba St

Acupuntura, antiguidades, arte, automóveis, institutos de beleza, livros, motoserras, medicina chinesa, roupas, cafés, polícia comunitária, computadores, artesanato, cristais, dança, eletrônicos, artigos de pescaria, flores, comida, chafariz, móveis, jogatina, jogos, cabelereiros, cânhamo, prédios históricos, hotéis, jóias, couro, mercadinho, caixa automático, música, animais, farmácias, entretenimento adulto, skates, tattoos, tecnologia, viagens, vinil muito, muito mais...

Logo que você vira na esquina e se dá conta que está no início da Cuba Street, no centro de Wellington, se depara com uma placa que contém o texto do parágrafo acima. Cuba Street é um lugar boêmio, alternativo, multi-étnico onde é possível observar chineses, indianos, turcos, africanos, europeus, latino-americanos, punks, góticos, hippies, homens de negócios, todos os tipos (e cores) de cabelos e preferências sexuais possíveis andando lado a lado ao longo de sua extensão.

Durante o dia a rua é mais quieta, embora movimentada. Boa parte dela é um calçadão onde os pedestres tem mais espaço para andar. Cafés e bares costumam colocar mesas no calçadão onde, neste caso, é permitido consumir álcool em área pública. Buskers (músicos que tocam na rua por dinheiro) aparecem todos os dias e noites para exibir seus talentos e ganhar algumas moedas.


No final da tarde os tipos mais exdrúxulos começam a sair de suas tocas. É quando pode-se ver os loucos e pirados prontos para mais uma noite na Cuba. Quando a noite cai, a loja que vende todos os artigos e acessórios para maconheiros (menos a erva em si) fecha, mas tem um cara que fica lá dentro e vende party-pills através de uma janelinha e ele fica aberto até tarde da noite.

E é à noite que as pequenas portas entre as lojas ao longo da rua, que são quase impossíveis de se perceber durante o dia, se destacam. Portas estas que levam ao segundo andar ou ao porão dos prédios antigos e mal conservados e lá rolam bandas locais de heavy metal, punk/hardcore, rock and roll e todos os outros estilos onde a guitarra grita.

Para as pessoas mais "normais" uma boa opção é ir no Irish Pub, boa cerveja e banda ao vivo fazem de lá um bom lugar para se divertir com os amigos.

Para os famintos opção é o que não falta. Se você quer comida turca vai achar 3 opções. Uma é um mero Kebab fast food, bem ao lado do Irish Pub. O outro é um pouco maior mas fede, e o terceiro é um restaurante muito interessante onde no fundos tem uma espécie de tenda com umas mesas baixas onde dá pra se sentir em outro país. E eles tem uma "Pizza Turca" com uma massa grossa e formato oval que é deliciosa.

Você ainda pode optar por comidas de outros países tais como China, Japão, Singapura, Malásia, Vietnam, Índia, México, Itália, etc. Todos estão lá e com preços em geral bem acessíveis.

A Cuba é mais ou menos isso. Vale a pena conferir!

Saturday, 8 March 2008

Aprecie sem chateação

Entender de vinho e buscar conhecimento é bacana. Pode ser sinônimo de sofisticação de paladar. Mas cuidado, tem que ter medida. Fugindo dela, a pessoa se torna aborrecida e pode virar uma enochata. Há três tipos legais de apreciadores de vinho:

(1) o enófilo, que bebe e aprecia com um certo grau de conhecimento;

(2) o enólogo, que estuda e entende mesmo do assunto;

(3) o sommelier, que entende muito e, profissionalmente, monta adegas e sugere vinhos em restaurantes.

Mas há um tipo mala de apreciador de vinho: o enochato. Infelizmente, esse último se espalhou como praga em parreiral. Em reuniões sociais, em encontros despretensiosos, ele se manifesta por meio de um vocabulário rebuscado, largando pérolas em metáforas difíceis até para os especialistas entenderem. "Percebo asfalto derretido" ou "parece frutas vermelhas do bosque", ou ainda "lembra pitanga morna ao sol do meio-dia", são impressões divulgadas após um único gole e, preferencialmente, diante de uma platéia de leigos.

- Comparar os aromas dos vinhos a frutas e ervas é uma tradição européia, mas que chegou aqui um pouco deturpada. É claro que os vinhos têm esses aromas, mas para as pessoas que trazem essas referências - explica Juliano Maroso, dono da Giuliano Vinhos, uma das principais lojas de Porto Alegre.

O enochato é descrito pela maioria como uma pessoa de conhecimento raso, que adora ficar propagando regras, ou aquele de conhecimento mais aprofundado, de mais conteúdo, mas que se faz inadequado, exibindo seu talento em salões onde não é convidado.

- Vinho foi feito para dar prazer, para beber, e não para impressionar as outras pessoas. Enochato bebe rótulos, não vinhos. Se você gosta de determinada bebida, toma e ninguém tem nada a ver com isso - dispara o jornalista Saul Galvão, que há mais de 30 anos escreve sobre o assunto em livros e no jornal O Estado de S. Paulo.

É fácil perceber quando o enochato arma o ataque. Tudo começa na implicância com a carta de vinhos do restaurante. Se ele sente que o garçom sabe pouco sobre vinho, a cena se encaminha para o constrangimento. Geralmente, após complicar na escolha, ele implica com a temperatura. Para o enochato, ela nunca está correta. Segundo Juliano Maroso, o ritual de apreciação de um vinho não está errado, desde que a pessoa saiba o que está fazendo. Rodar o copo pela haste (para acelerar a oxigenação do vinho e ajudar a "abri-lo"), cheirar a rolha (para verificar se está bouchonné, com a rolha atingida por fungos), cheirar a bebida (para perceber o bouquet, o aroma) e olhar contra a luz (para análise da coloração) está correto, mas pode intimidar o vizinho de mesa se feito de forma ostensiva - uma atitude clássica do enochato. Enochato que é enochato não diz que o vinho é de cor escura, fraco ou forte. Ele abusa no emprego de termos como violáceos, rubis. O vocabulário entre os apreciadores está evoluindo e, sem dúvida, dependendo da maneira como é empregado, afugenta qualquer um. Diz-se que um vinho tem "personalidade", "fineza" e "estirpe", é "sedutor" e "aveludado". Ou "duro", "rude", "sem sutileza". Isso, no mundo dos iniciados. Na mesa dos amigos...

- O encantador do vinho é não ter regra - declara Rogério Concli, da Expand, a maior importadora de vinhos da América Latina.

O jornalista Saul Galvão participa de um grupo de degustação há 25 anos, em que as garrafas são envoltas em alumínio e os participantes precisam identificar as suas características.

É chamada degustação às cegas, para que o degustador não sofra a influência do rótulo.

- O vinho me ensinou humildade. Quem diz que entende é uma besta, não dá para entender do assunto - diz.

Além de serem antipáticos socialmente, até nos negócios os enochatos têm uma influência negativa.

- É um problema para o mercado porque cria uma áurea de intelectualidade em torno da bebida. Isso amedronta e intimida e não estimula que as pessoas se iniciem no consumo - explica Flávio Martins, coordenador do curso de Marketing do Vinho da ESPM.

Para Claude Troisgros, chef francês radicado no Rio de Janeiro, diferentemente das categorias citadas na abertura deste texto, existem três tipos de apreciadores de vinho:

(1) o realmente profissional, que precisa existir para fazer evoluir o mundo do vinho;

(2) o cara que diz que conhece, mas na realidade não sabe nada;

(3) e o amador. Categoria na qual o chef modestamente se inclui.

- O resto é só felicidade.

extraído do blog de Fernanda Zaffari - ClicRBS

Um dos melhores vinhos brancos que já tomei aqui na NZ