Monday, 4 August 2008

Niue, the WiFi-Nation

Poucos sabem onde fica Niue, eu mesmo nem sabia que existia até pouco tempo atrás. Trata-se de uma ilha do Pacífico Sul, localizada entre Tonga, Samoa e Cook Islands e possui associação livre com a Nova Zelândia, ou seja, compartilha a mesma moeda, legislação, e governo (embora tenha seu próprio líder e parlamento independentes). É um atol minúsculo e por isso uma das menores nações no mundo com apenas 260km² e população de somente 1679 pessoas, pois muitas delas migraram para a Nova Zelândia em busca de uma vida melhor, especialmente depois do ciclone Heta ter destruído boa parte da ilha em 2004.

Mas o que me fez escrever sobre Niue é o fato de ser o primeiro país a ter internet WiFi gratuita à disposição de toda a população e visitantes, totalmente free desde 2003. Serviços de email gratuito já eram disponíveis na ilha desde 1997. Tudo isso graças ao incentivo da Niue Internet Users Society, a mesma que controla o domínio .nu e o único ISP no país.

Num país pequeno e isolado, onde vive-se ou das plantaçoes de baunilha, ou dos milionários que gastam dinheiro quando param na ilha com seus iates nos seus passeios pelas ilhas polinésias, a idéia foi muito bem vinda. Principalmente pelo fato de que os cabos telefônicos convencionais são facilmente danificados por diversos fatores naturais, como os já citados ciclones todo ano entre Novembro em Março, maresia, raios e umidade e por isso frequentemente os moradores ficam sem telefone. Com internet free a população tende a utilizar o computador como principal meio de comunicação. E também facilita o turismo na região pois disponibiliza o recurso à todos os turistas que chegam na ilha, inclusive o tiozinho do iate.

Já existe nos EUA conversas políticas e movimentos em favor da disponibilização de internet wireless de alta velocidade gratuita para uma vasta área do país. Maiores informações em freebroadbandnow.org. Acredito que num futuro breve internet free estará disponível em vários países do mundo, pois é um grande motivador para a inclusão digital, principalmente nos subdesenvolvidos. O objetivo é tornar o acesso à internet tão público e gratuito quanto ao acesso à TV aberta. Eu rio de mim mesmo quando tinha que pagar 35 pila pro Terra todo mês para ter aquela conexão de merda de 27kbps. Aqui eu pago para ter broadband em casa, mas antigamente eu costumava filar internet wireless de uma lojinha aqui no centro da cidade, onde a rede não tinha senha. Foda era ter que arrumar estacionamento exatamente na frente da loja pra conseguir sinal... foda.

4 comments:

wendel said...

Cara, sinceramente, não boto fé que isso aconteça aqui no Brasil. Não tão cedo pelo menos, e muito menos por iniciativa interna.

Primeiro porquê internet WiFi por aqui...ppffffff

Segundo porquê hoje nós temos um serviço de banda larga um pouco ultrapassado onde, além de estarmos pagando, e caro, as empresas fazem traffic shaping descarado. E não tem nem como contestar por nos contratos está explícito que a provedora do serviço não pode garantir a velocidade constante.

Elas utilizam dessas brechas para nos sacanear, e nós, o que nos resta é utilizar de subterfúgios como criptografia, bloqueio de peers e até o extremo de se usar VPN anônimo pra poder fazer download e navegar ao mesmo tempo.

Até onde eu conheço, VPNs são todos pagos. Ou seja, pra você poder usar tudo que a sua internet deveria te fornecer, você tem que desembolsar cerca de mais $20 dólares.

Mas, pelo que andei vendo, existem vertentes que utilizaram o Hamachi para burlar esse bloqueio.
É isso...desbafo heheh

Rodrigo Kammer said...

Pô, truta! ótimo post! vou postar um link direto no meu blog...

Paulo Luiz Fachini said...

opa broder... post bacana

Rodrigo Kammer said...

complementando o teu post...

http://idgnow.uol.com.br/computacao_pessoal/2008/08/22/ilha-no-pacifico-distribui-laptops-de-us-100-para-todos-seus-estudantes/