Monday, 25 August 2008

Observações Olímpicas

Alguns fatos dos jogos olímpicos de Beijing que me chamaram a atenção:

Al-Gassra RoqayaAl-Gassra Roqaya: Atleta do Bahrain que competiu no atletismo 200m rasos. Por ser muçulmana ela tem que competir com o corpo todo coberto, pois Allah disse que toda mulher só pode mostrar o corpo para seus familiares próximos e ao seu marido, caso contrário vai para o inferno. Quem não lê o Alcorão e não reza cinco vezes por dia voltado para Meccah também vai para o inferno. Então que eu vá para o inferno mesmo, pois pelo menos lá toca rock and roll. Ela foi eliminada nas semifinais apesar de ter vencido algumas corridas nas fases iniciais.

Mahe Drysdale: O neo-zelandês tri-campeão mundial de remo na classe individual era um dos favoritos para a medalha de ouro. Mas na última semana de competição ele contraiu uma salmonela e ficou altamente desidratado e fraco, perdeu 4kg em apenas dois dias. Foi disputar a semi-final passando mal mas conseguiu se classificar. Três dias mais tarde na final ele ainda não tinha se recuperado totalmente e chegou a estar liderando a prova, e à menos de 100m do final ele simplesmente esgotou todas as forças, mas ainda consegui terminar em terceiro. Ele teve que ser retirado da água pelos paramédicos e levado para check-up, mas retornou minutos depois para receber a medalha de bronze no pódio junto com os demais atletas.

Seleção Brasileira Masculina de Futebol: Puta que pariu hein!

Estados Unidos: Como são otários! Não admitem ficar em segundo lugar. Por isso eles consideram o total geral de medalhas mais importante do que o número de ouros. Websites como o da NBC mostram os EUA em primeiro lugar no ranking. Eu acho que o mérito está todo no atleta que ganhou o ouro, por isso que o ranking é ordenado assim, ou seja, ordenado pela quantidade de campeões que cada país produziu. Estão admitindo o quão loser eles são, pois é o país que mais tem pratas = país que mais perdeu na final. E se é assim que eles acham que funciona, então o Micheal Phelps não é o maior atleta da história porra nenhuma. A atleta de ginástica olímpica Larissa Latynina da Ucrânia (na época União Soviética), é a maior medalhista da história com 18 medalhas (9 ouros, 5 pratas e 4 bronzes). Phelps fica em segundo lugar com 16 (14 ouros e 2 bronzes), talvez nos próximos jogos ele assuma o primeiro lugar. Valeu rodrigao.net pela ajuda nessa aqui.

Natalie du Toit: Pela primeira vez na história das olimpíadas um atleta amputado participa de um evento junto com os demais. A nadadora sul-africana que perdeu uma das pernas num acidente de carro em 2001 competiu na maratona de 10km e terminou na 16ª posição, à frente de oito competidoras. Ela terminou em quarto lugar no campeonato onde consegui o índice olímpico para participar desta prova. Medalhista nas Para-Olimpíadas de Atenas em 2004, ela também buscará mais medalhas em Setembro quando competirá nos jogos Para-Olímpicos de Beijing.

Jorgen Persson: O sueco de 42 anos representa seu país no tênis de mesa nas olimpíadas desde que o esporte foi incluído nos jogos de 1988 em Seoul. Apesar de ter vencido vários campeonatos mundiais, individuais e duplas, jamais conseguiu uma medalha olímpica. Ele foi para Beijing não sendo favorito e acabou nas semi-finais com outros 3 chineses, que são no momento os três melhores do mundo no ranking. Acabou em quarto lugar, asissti o a semifinal e foi um belo jogo, com muita velocidade e técnica.

Mark Todd: Mais velhão que o sueco é o neo-zelandês Mark Todd de 52 anos, que compete no hipismo desde os jogos de 1984 em Los Angeles. Possui 2 ouros, uma prata e dois bronzes em sua carreira olímpica. Não teve um bom desempenho este ano.

BMX: Eu achei muito legal que este esporte agora faz parte dos jogos olímpicos. Muita ação e quebraceira!

Angel Valodia Matos: O lutador de taekwondo cubano que pode ser banido para sempre de competições internacionais por ter dado um chute na cara do juiz. Nada justifica este ato, e se ele estava em condições de luta, por que demorou tanto tempo para se levantar? Feio....

Cerimônia de encerramento: Muito bonita, com muitas cores, fogos de artifício e o Jimmy Page velhão mandando Whole Lotta Love. E deu pra sentir que o espírito dos jogos de Londres será bem urbano e moderno, ao contrário deste que também foi moderno, mas ao mesmo tempo fez com que a história do país fizesse parte dos jogos.

Fiquei triste quando a chama se apagou, é a hora em que me dei conta que os jogos realmente terminaram. Agora são mais quatro anos para tudo acontecer novamente. Achei que o desempenho geral do Brasil foi bom, apesar de poder ter ganho pelo menos 4 ouros a mais no futebol, vôlei e vôlei de praia. A Nova Zelândia também ficou dentro do que era esperado, com 3 ouros, 1 prata e 5 bronzes.

2 comments:

wendel said...

pois é..que fiasqueira a seleção masculina brasileira de futebol. Eles tinham que aprender com a feminina, que só usa salto alto fora do campo.

Kelli said...

Gostei muito desse post.

Sobre a seleção brasileira masculina de futebol não há mais nada a dizer né?

E sobre os americanos, nem vou comentar porque o que você escreveu disse tudo!

Valeu Amaral.